06 setembro 2017

RESENHA: FILME "AMÉLIA" | A comovente história da Mulher do Ar!

Olá mores, turubom????

Na madrugada de domingo para segunda dessa semana, assisti o filme "Amélia" e me encantei. Uma história super diferente de tudo que já tenha visto por aí, um misto de aventura e satisfação por voar. Por isso, trouxe a minha visão sobre o que vi e quero muito que vocês vejam e sintam essa emoção também!

Foto Divulgação | Google Imagens

Sabe aquela música que Amélia era mulher de verdade e não tinha a menor vaidade? Pois bem, até nisso o filme me surpreendeu. Ela não só tinha vaidade externa, dona de um estilo impecável, como a vaidade de interna, aquela que eu chamo de "segurança em si mesma". Sabe por quê eu digo isso? Porque Amélia Eahart foi a primeira mulher a cruzar o Atlântico pilotando um avião. Surreal, né? Na época ela se tornou uma celebridade de respeito, e, se depender de mim, é até hoje. Ela é corajosa ela rs


Além de pilotar, ela elevou a figura feminina ao céu. A partir disso, a aviação nunca mais foi a mesma. Os pensamentos masculinos engoliram a seco a capacidade desse ser humano, estrelado por Hilary Swank, descobrir novos mundos. Tudo bem que ela era uma mulher bem tímida no começo do filme, mas conforme foi ganhando confiança, nada punha limite em seus sonhos. E aí eu te digo, sem mais nem menos, que seu par romântico, representado pelo "homão da porra", Richard Gere, deu um show como empresário e incentivador das suas surpreendentes viagens pelo mundo a bordo da máquina Lockheed Vega 5b.


Foto Divulgação | Google Imagens



Eu, literalmente, viajei no filme. Filmagem impecável e um tanto quanto motivador. Só em saber que há tanto tempo atrás (anos 30) uma mulher foi tão revolucionária assim, meus olhos brilham de felicidade. Resumindo a mensagem que o filme me deixou foi que os sonhos devem existir para serem realizados. E um trecho do filme que exemplifica bem isso é: "Todos nós temos oceanos a cruzar desde que tenhamos coragem para fazê-lo". 


Foto Divulgação | Google Imagens



Além de bater recordes em sua vida, ela deixou marcas positivas para os amantes da aviação. Com toda a certeza do mundo foi: "A mulher do Ar". Assistam, tem no Netflix! Filme de 2009 e que ultrapassa datas e gerações! Valeu a minha madrugada assistindo e a minha madrugada aqui, escrevendo para vocês.

Um céu de beijos! :*

23 agosto 2017

MINHA TRANSIÇÃO | De Agente de Aeroporto para Futura Comissária

Olá mores, turubom??? hahahaha

Uniformizada no curso Vee One

Vim continuar a minha história dentro da aviação. É só o começo, mas queria dividir esse início com vocês, visto que, foi sucesso do post anterior (clique aqui). 

Já tem uns 5 meses que estou na Passaredo Linhas Aéreas e eu acho que passou muito rápido. Muito rápido no sentido de me sentir em casa. São desafios diários que passo, e passo com muita força de vontade. Para quem já trabalhou em aeroporto ou conhece alguém que já tenha trabalhado, sabe que um dia não é igual ao outro e sempre encontramos surpresas boas e ruins pela frente. Porém, afirmo que é tão prazeroso que estou buscando cada vez mais conhecimento dentro da área e dentro da aviação num geral. 

Assim, com 1 mês de empresa, surgiu a ideia na minha cabeça de seguir na área e encarar o voo. Ou seja? Entrei para o curso de comissária de voo na Vee One (término em Dezembro). Melhor decisão que já tomei em minha vida. Hoje eu vivo para descobrir e aprender cada dia mais sobre esse universo que tanto que encanta. Nesse trajeto eu conheci/conheço pessoas que incentivam e pessoas que desmotivam, como em toda profissão, né? Vocês acreditam que já disseram que eu estava gostando da área porque sou recente nela? Foi a pior bobagem que já escutei. Sabe por quê? Parece que acordo sempre com mais motivação, estudo sem ninguém mandar, pesquiso sem ninguém me cobrar. Eu sempre busco igualar meu bem estar físico com o meu bem estar profissional, e eles estão andando juntos, finalmente.

Antes eu me preocupava com a minha carreira, hoje eu vejo que me determinei na aviação e que se Deus quiser, permanecerei nela pelo resto da minha vida. É isso, já não me vejo longe mais. É fascinante! A forma de encarar o mundo muda completamente e aquilo que te empurra para baixo só te faz crescer mais ainda. E o melhor de tudo é que encontro pessoas na mesma sintonia, até mesmo por conta das minhas redes sociais, onde eu procuro me expressar e ajudar quem decidiu seguir o mesmo caminho. Além disso, estou em constante renovação, são diversos cursos que faço dentro e fora da empresa que me deixam sempre antenada com o meu futuro na comissaria.

Agradeço imensamente por ter oportunidade de estar onde estou hoje, apesar de ser ainda em solo, nada seria possível se esse degrau não surgisse, sabe? É como se eu estivesse uma base, uma preparação para tudo que virá. Como Agente de Aeroporto eu aprendi a ter responsabilidade, a ajudar o próximo, a trabalhar em equipe, a saber procedimentos de segurança, e mais, aprendi que só se alcança a vitória com tropeços e erros. Se você só acerta, que graça tem? Acredito que todos os puxões de orelha que já levei me treinaram bastante. Antes eu era "crua", hoje eu sei mais que ontem,e amanhã eu saberei mais que hoje, com certeza. E eu só tenho a dedicar esse post à Passaredo por ser uma escola! Sigo olhando para o céu! Obrigada! 


PRÓXIMA PARADA: PROVA DA ANAC E SELEÇÕES :)

To be continued...

Meu twitter e meu instagram: @dudaiannuzzi
Meu canal: Clique aqui

10 agosto 2017

MINHA TRANSIÇÃO | Do Jornalismo para Aviação

Olá mores, turubom!? hahahaha



Minha primeira foto com esse ATR 72 - 500 maravilhoso <3



Mudei meu cumprimento, né? Quem me acompanha no meu novo canal do Youtube "Levantando Voo" (esse aqui) sabe que isso já está virando marca (e polêmica também, adoro!). Meu tema de hoje é tão lindo que já estou me preparando para chorar (oh minha fase emotiva). Querem saber como migrei do Jornalismo para Aviação? Bom, antes queria registrar que não deixei de ser Jornalista e nem deixei de gostar da profissão, antes que pensem, vai que... hahaha Para começar essa história mega surpreendente, que fique claro uma coisinha, a mudança vem de dentro para fora, ok? Tem todo um psicológico envolvido. Não pensem que de tudo sou doida, tem um grau de sanidade presente sempre.

Sou formada em Comunicação Social - Jornalismo desde 2014 e gosto de aderir o conceito de Comunicóloga. Pois foi isso que fiz durante meus estágios na época, me comunicar. Passei por mais ou menos uns 3 estágios confiáveis, dos quais aprendi muito, principalmente nos dois últimos em que lidei com o público. No início da minha faculdade eu queria escrever, trabalhar em redação, até pelo fato de aparecer na TV não ser o meu forte, gostava dos bastidores e não me sentia apta a ser repórter ou nada do gênero na frente das câmeras. Foi aí que consegui meu primeiro estágio e logo na editora da minha faculdade. Meu primeiro contato com Jornalismo. Sou grata por isso. 

Conforme foi passando o tempo, fui desejando o Jornalismo Esportivo. Saí do meu primeiro estágio, trabalhei de graça numa página do facebook só de meninas falando sobre futebol até que surgiu a oportunidade de trabalhar no Fluminense Futebol Clube. Ganhei uma bagagem de vida incrível, tanto negativamente como positivamente, meu primeiro contato lidando diretamente com o público. Nunca pensei que fosse capaz de me comunicar facilmente longe da escrita, tinha muita vergonha e fui perdendo naturalmente. Logo, não me via mais fazendo outra coisa. Paralelamente eu tinha o Blog da Iannuzzi por gostar muito de moda e ter cursado Jornalismo de Moda na faculdade, e a Raquete de Tênis, porque eu fui me interessando por outro esporte, já que o futebol é mega saturado. Fiz mil cursos de Jornalismo Esportivo e Mídias Sociais.

Assim que saí do Fluminense, foquei em moda e tênis. Surgiu dois freelas nas áreas, eu era Assistente de Mídias Sociais do Shopping Leblon e escrevia sobre tênis no site Tenis News, da Band, além de algumas notinhas para o jornal O! Lance. Consegui concluir meu TCC em "O Esporte Tênis na Mídia Online Brasileira". Que alívio! Foi extremamente difícil, o tênis ainda é um esporte muito elitizado e não muito comentado pela mídia online brasileira. Na época então...

Shopping Leblon cancelou o contrato e eu não aguentava mais escrever sobre Tênis virando madrugadas por causa do Australian Open. Eu não tinha vida, só vivia no computador. Então resolvi largar tudo e focar em alguma coisa específica. Tentei procurar Pós em Moda, Pós em Marketing, até que entrei no MBA Comunicação e Marketing em Mídias Sociais. Eu gostava, mas não estava motivada. E ENTÃO, o improvável aconteceu. Numa dessas "mandadas de currículo", a Gol Linhas Aéreas me chamou para entrevista de Agente de Aeroporto. Fiquei nervosa. Não sabia nada além de viagens... hahaha e o que aconteceu? Passei nos testes online e na dinâmica, não. Fiquei arrasada, me sentia inútil.

Pensei em cursar Turismo, procurei estágios em recepções de hotéis e no marketing dos aeroportos. E nada! Até que surgiu a vaga para Agente de Aeroporto, dessa vez na Passaredo Linhas Aéreas. Já estava bem mais preparada, pois só focava nisso. Se eu falar para vocês que eu me sentia muito bem nos aeroportos que pisava? Que a sensação era sempre de estar em casa, independentemente do local que fosse? Bom, a dinâmica e a entrevista da Passaredo foram no mesmo dia e na mesma semana me ligaram de Ribeirão com a melhor frase da minha vida até então: "VOCÊ FOI APROVADA". Fiz o exame toxicológico alguns dias depois e logo assumi o cargo com o Douglas e a Sarah que hoje, depois de quase 5 meses, são amigos que preciso ao meu lado sempre. Minha vida mudou completamente e hoje eu posso dizer que sou muito feliz trabalhando!

Que fique a dica, quando é para acontecer, demora, mas acontece quando você menos espera!

PRÓXIMA PARADA: DE AGENTE DE AEROPORTO PARA FUTURA COMISSÁRIA :)

To be continued...



10 julho 2017

LEITURA DA VEZ: VIVA COMO SE ESTIVESSE DE PARTIDA | Por Rafael Henzel

Olá pessoas! Turuuuuuubom? hahaha


Voltei pela milésima vez. O importante é que eu sempre volto, né? E hoje eu venho mostrar a vocês um livro emocionante e muito rápido de ler (para aqueles que odeiam leitura). Vão se apaixonar do inicio ao fim com relatos do sobrevivente da tragédia da Chapecoense, o Jornalista Rafael Henzel. Vale super a pena ler, um novo mundo se abre. Percebemos que reclamamos demais de pequenos problemas, sabe? Enfim... Lição mesmo!

"Um relato otimista e emocionante do jornalista que sobreviveu à tragédia da Chapecoense" | Foto e Edição: Eduarda Iannuzzi

Lógico que muita gente já deve ter lido em inúmeras notícias o que aconteceu nessa tragédia, mas os detalhes da pessoa que estava vivendo e sobrevivendo àquilo tudo é de surpreender. Fiquei tensa em alguns momentos e aliviada em tantos outros pela força de vontade do Rafael em permanecer vivo. Há quase desistência, mas ele te mostra que o amor, o carinho, a fé e a gratidão por cada segundo são fatores essenciais para hoje ele ter escrito esse livro de coração aberto e, principalmente, de superação.



Meu twitter: @dudaiannuzzi

Esse tweet foi um trecho do livro muito importante na minha fase atual de vida, e acredito que muita gente esteja precisando ler esse e vários outros ensinamos do Rafael. Ele até retweetou na sua página, isso quer dizer que ele é bem próximo de seus "fãs". Incrível, né? :')

Espero que comprem esse livro com um pouco mais de 100 páginas, mas de nota 1000! Bjks! :*


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...